19 de nov de 2011

VAI CHOVER OPORTUNIDADES PARA FISIOTERAPEUTAS E TERAPEUTAS OCUPACIONAIS‏

Ela olha para a filha de Romário, com Síndrome de Down, e  a voz é dominada pela emoção: “ …  este é um momento em que vale a pena ser Presidente .” O choro da Presidenta Dilma emocionou a todos nós, presentes  na cerimônia de lançamento do Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência. O lema é “ Viver sem Limite ”.

O Brasil da exclusão social vai investir aproximadamente 10 bilhões de reais, para que os cerca de 40 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência possam receber um treinamento adequado, tornarem-se produtivas e vivam em um mundo sem limites.  Foi um dia de esperança para as pessoas com deficiência cegos viram, os surdos ouviram, os deficientes físicos caminharam e os deficientes mentais elaboraram raciocínios sofisticados. É uma janela de grandes oportunidades que se abre para os que chegaram nesse mundo com uma barreira biológica. Da presidenta do Brasil, aos presidentes das APAES, todos selaram o compromisso de derrubar as barreiras físicas, biológicas, sociais e econômicas que impedem o pleno desenvolvimento dessa parcela significativa da população. Esse sentimento foi expresso pela presidenta da república na frase “ uma sociedade inclusiva, onde absolutamente todos os brasileiros e brasileiras caibam nesse todo.. ”.


O Programa envolve e integra quinze órgãos federais e a sociedade civil com suas instituições que atuam na área (veja a relação no discurso da presidenta). O programa é ambicioso. Transporte e escolas adaptadas para garantir o acesso ao ensino a todas as pessoas com deficiência. Vários incentivos fiscais para o desenvolvimento de tecnologia assistida e crédito subsidiado para a aquisição dessas mesmas. Casas, estádios e mobilidade urbana adaptadas às necessidades das pessoas com deficiência. Financiamento para o desenvolvimento de pesquisas e treinamento de pessoal para cuidar desses brasileiros.
Na saúde, o cuidado começa no neonatal e engloba até o desenvolvimento de próteses e órteses adaptadas e ajustadas às necessidades das pessoas com deficiência. Muitas são as ações que serão desenvolvidas para minimizar o efeito das barreiras biológicas. Para tanto, será necessário um grande esforço para treinar os profissionais da saúde a desempenhar com sucesso essa missão.


Parte das verbas serão aplicadas em inúmeras entidades da sociedade civil para ampliar os serviços que já vêm prestando, outras serão criadas. Essas entidades terão que contratar milhares de Fisioterapeutas e Terapeutas Ocupacionais.
Vai chover oportunidades para os Fisioterapeutas e Terapeutas Ocupacionais. Porém, lembre-se que é preciso dar uma oportunidade à boa sorte que apareceu para todos.


A minha sugestão para o profissional é que não espere que ofereçam a você emprego com carteira assinada. Procure se especializar na prestação de serviços às pessoas portadoras de uma deficiência específica. Não se contente em ser mais um, mas seja o melhor na área que escolher. Acompanhe nos sites dos Ministérios envolvidos na execução do Programa as linhas de financiamentos. Elabore um projeto para ajudar a minimizar os efeitos das barreiras biológicas e ajudar as pessoas com deficiência a recuperarem a funcionalidade. Corra atrás dos recursos financeiros para implementar seu projeto.  Assim, você estará se tornando um empreendedor e, além de ajudar as pessoas com deficiência, você passará a gerar empregos para você e para seus pares.


O CREFITOSP enviou  carta à Presidente Dilma (Of.Gapre 402/2011, de 25/10/2011), sugerindo um programa de atendimento de Fisioterapia e Terapia Ocupacional, para a pessoa com deficiência, na família, na escola e no trabalho. O pedido está em análise pela Presidência. Vamos fazer a diferença na vida das pessoas com deficiência.
NOTA:  Estava lá representando os mais de 50 mil Fisioterapeutas e Terapeutas Ocupacionais do Estado de São Paulo e o presidente do COFFITO, Dr. Roberto Cepeda. Também esteve presente no evento a conselheira do CREFITOSP, a Dra. Maria Cândida Miranda Luzo, que trabalha no I nstituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas da Fundação de Ortopedia da USP e é uma das entidades parceiras do Programa que cuidará do treinamento e confecção na área de prótese e órtese.

Veja na íntegra o discurso da presidente em PLANALTO.gov

Dr. Gil Lúcio Almeida
FT, MC, PhD, Pós-doc é cientista, escritor e presidente do Conselho de Fisioterapia e Terapia Ocupacional do Estado de São Paulo (CREFITOSP).

1 comentários:

Anônimo disse...

Boa Noite!
Sou Ana Paula Ferreira da Silva,Terapeuta Ocupacional, em minha graduação obtive média global 9.Agora quero ir para o Mestrado em Ciências da Reabilitação em UFMG, irei fazer abordagens funcionais de reabilitação intensiva funcional em crianças com Paralisia Cerebral Hemiplégica.Gostaria de pedir apoio as Instituições parceiras que estimulem o desenvolvimento humano, Organização das Nações Unidas, UNICEF...
Contatos:e-mail:avoquerido@hotmail.com/DDD55-31-94738961/34636140
]UM ABRAÇO ÁS PESSOAS QUE POSSUEM ALGUM TIPO DEFICIÊNCIA QUE EU POSSA COMO TERAPEUTA OCUPACIONAL PROPORCIONAR SUPORTE INCLUSIVO EM SOCIEDADE EFETIVAMENTE.
ESPERO RETORNO

Postar um comentário

 
As informações deste blog tem objetivo de informar e propagar o conhecimento. Não estão aqui em caráter de consulta, tampouco substituem a consulta médica ou fisioterapêutica. Os profissionais de saúde são os únicos indicados para avaliar e traçar a conduta necessária caso a caso. Se estiver com algum problema, procure um profissional de saúde.