22 de jun de 2011

Em recuperação no Timão, Adriano faz pilates e trabalho na piscina


Atacante já pode fazer treinos com maior carga depois de ter retirado a proteção no tendão do pé esquerdo.



Não são apenas os jogadores à disposição de Tite que sofreram nesta terça-feira com intensos trabalhos físicos pela manhã, no CT Joaquim Grava, em São Paulo. Depois de passar o fim de semana com a família, no Rio de Janeiro, o atacante Adriano intensificou as atividades de recuperação pela cirurgia no tendão do pé esquerdo, realizada em 20 de abril.

O jogador retirou a bota imobilizadora no dia 3 de junho e passou a uma nova fase do tratamento. Sem a proteção, o atleta foi liberado para exercícios de pilates, utilizando um elástico em uma prancha móvel, e outro na piscina do centro de treinamentos alvinegro. Ele foi acompanhado pelo fisioterapeuta Caio Mello.

Neste período, a fisioterapia é mesclada com trabalhos para a perda de peso, principalmente o “transport”, aparelho que ajuda a evitar um grande impacto no local operado. Nas contas do departamento físico, o Imperador precisa perder cerca de 10kg para ter condições de atuar.




Ainda não há previsão para que Adriano faça treinos no gramado. Ele só será liberado depois que a musculatura estiver adequada para suportar os movimentos, evitando assim possíveis novas lesões.
Em uma avaliação do médico Joaquim Grava, responsável pela intervenção cirúrgica, o centroavante só poderá jogar a partir do mês de setembro. A diretoria de futebol chegou a cogitar a antecipação para agosto, mas o corpo clínico do clube descartou essa possibilidade.
Dr. Daniel D´Attilio
Texto retirado do site GloboEsporte.com - Reportagem na Integra de Carlos Ausgusto Ferrari

20 de jun de 2011

Pilates para pacientes com lesão medular


O Pilates é um método de condicionamento físico baseado em 6 princípios fundamentais Concentração, Controle, Power house (CORE), Movimento Fluido, Respiração e coordenação motora. Nascido em 1880, Joseph Pilates criou um repertório de exercícios que eram executados no solo, residente na Inglaterra durante a Primeira Guerra Mundial foi feito prisioneiro e transferido a um campo de trabalho britânico, onde aprimorou seus movimentos com auxilio de molas e macas para reabilitar soldados feridos.
Podemos citar como benefícios do Pilates:
- alongamento e maior controle corporal;
- correção postural;
- avaliação da flexibilidade;
- tônus e força muscular;
- alívio de tensões estresse e dores crônicas;
- desenvolvimento da consciência corporal;
- melhora da mobilidade das articulações;
- estimulação do sistema circulatório e oxigenação do sangue;
- fortalecimento dos órgãos internos;
- trabalho da respiração;
- aumento da sensação geral de bem estar.
Até pouco tempo atrás, o tratamento de pacientes com lesão medular estava restrito à prevenção de danos á medula espinhal, limitando o tratamento fisioterápico á reabilitação intensiva. Com o aumento da expectativa de vida dos pacientes com lesão medular, o processo de reabilitação desviou-se da preocupação de sobrevivência para a melhoria da qualidade de vida e o aumento da independência funcional.
A evolução dos pacientes portadores de lesão medular, assim como as respostas destes as aulas de Pilates, são imprevisíveis. As funções sensitivas, motoras e funcionais preservadas abaixo do nível da lesão apresentam padrões variáveis de recuperação. É importante que o paciente tenha o mínimo de controle de tronco para freqüentar as aulas, alguns exercícios podem ser feitos na própria cadeira de rodas.
Os diferenciais biomecânicos que o Pilates oferece ao aluno cadeirante como crescimento axial, respiração, concentração, estabilização do tronco, diminuição do impacto articular, auxiliam esses alunos, nas atividades de vida diárias. Devemos trabalhar bem a questão do aumento d força em membros superiores vez que esta musculatura sofre sobrecarga. É importante gerar uma harmonia dos movimentos estimulando as estruturas proprioceptoras proporcionando maior coordenação motora na execução das atividades diárias.
É importante lembrarmos que na respiração utilizamos muito a mobilidade de todo tórax, que estimula a contração de músculos respiratórios importantíssimos e dificultando o aparecimento de possíveis patologias relacionadas à respiração (ex.: pneumonias).
O Pilates por trabalhar órgãos internos e musculaturas profundas, pode estimular o bom funcionamento intestinal também. Sendo assim, importante para este público que passa a maior parte do tempo na mesma posição. “Muitos alunos nos relatam este tipo de melhora”, dizem Tatiana e Beatriz.
Exercícios específicos para controle e sustentação do tronco, fortalecimento de membros superiores para facilitar transferências de peso para outros locais (cama, cadeira, sofá) e estímulos de equilíbrio”, explicam as especialistas.
Lembrando que mesmo aqueles que precisam de auxilio para realizar os exercícios, devem sempre ter em mente que ele será responsável pelos cuidados com o próprio corpo, afirmam Beatriz e Tatiana.
Os exercícios da nossa pratica cotidiana adaptados que proporcionaram aos nossos alunos:
-Independência e Autonomia;
-Auto Valorização, Auto Estima, Auto Imagem;
-Melhora da função nos aparelhos circulatório, digestivo, respiratório e excretor;
-Melhora da Força e Resistência muscular em Membros Superiores e Tronco;
-Desenvolvimento do equilíbrio estático e dinâmico.
Dr. Daniel D´Attilio

Exercícios de Pilates para estenose espinal lombar


Seus alunos estão reclamando de dor nas costas, ou eles descrevem  um “problema nas costas?” Se for assim, as suas queixas não são incomuns. Foi divulgado recentemente que 4 de cada 5 alunos adultos possuem, pelo menos, um episódio de dor nas costas em algum momento durante sua vida. Considerando essas estatísticas, a probabilidade de encontrar os seus clientes com problemas nas costas é muito elevada.

Com qualquer pessoa que está em pós-recuperação ou tem uma história de uma doença da coluna, é importante estar ciente dos resultados com o profissional responsável, para melhor adaptação dos exercícios ao aluno em questão. A informação aqui é generalizada para a maioria dos indivíduos, mas tenha em mente que sempre há desvios.
A medula espinhal começa como uma extensão do cérebro e é cercado pela coluna vertebral óssea, que atua como um mecanismo de proteção. Qualquer informação sensorial ou motora do cérebro para o corpo viaja através da medula espinhal. Uma lesão na medula espinhal vai interromper esta comunicação importante, resultando em prejuízos de movimento, sensação e / ou função de órgão.

A coluna lombar contém cinco segmentos articulando esse movimento de flexionar, estender, dobrar e girar o tronco. Individuais, dos nervos saem raízes de cada lado das vértebras para se tornar nervos que permitem a sensação e o movimento na parte inferior do corpo (Kibler et al. 1998).
Exercício Pilates como uma opção de tratamento
Pessoas com dores nas costas e má postura podem se beneficiar de exercícios de Pilates, mas a técnica adequada é fundamental. Você pode ter que modificar exercícios lombares para se adaptar às características individuais de um aluno e suas necessidades.
Estenose lombar da coluna vertebral
Estenose espinhal, que é o estreitamento dos espaços da coluna, pode resultar em pressão sobre a medula espinhal e / ou nervos. A maioria dos casos de estenose espinal ocorrem na região lombar (estenose espinhal lombar), afetando os nervos que são responsáveis pelos movimentos das pernas. Estenose espinhal pode resultar de uma variedade de causas, incluindo o envelhecimento, a hereditariedade, tumores, um evento traumático e doença óssea.
Indivíduos com estenose espinhal pode ter dor ou desconforto nas pernas, bem como fraqueza ou “peso” nas extremidades inferiores. Outros sintomas podem incluir dormência, formigamento ou sensação de calor e frio nas pernas. Estenose do canal vertebral lombar é diagnosticada por um médico. Uma imagem de ressonância magnética (IRM) ou tomografia computadorizada (TC) ou uma mielografia (radiografia tirada após um fluido especial ser injetado na coluna) podem ser executadas. Estes estudos de imagem, entre outros, podem oferecer detalhes sobre os ossos e tecidos e ajudar o médico a identificar um diagnóstico (Cleveland Clinic, 2005).
A cirurgia pode ser indicada como uma opção de tratamento, mas geralmente é visto como um último recurso. exercícios de estabilização lombar também pode ser uma opção viável de tratamento, dependendo da gravidade da estenose espinhal.
Dica para os exercícios de Pilates
Como regra geral, os indivíduos com estenose espinal lombar são mais confortáveis na posição de flexão. Os exercícios de Pilates realizados com o aluno deitado de bruços sobre o abdome, com a cabeça voltada para um dos lados ou em pé podem ser desconfortáveis. Se o aluno preferir deitar de bruços, pode-se colocar um travesseiro sob o estômago para criar uma pequena quantidade de flexão da coluna vertebral.
Dr. Daniel D´Attilio

16 de jun de 2011

Lesão do Labrum do Quadril

As lesões labrais do quadril se tornaram muito freqüentes nos últimos anos. Porém, o sucesso do tratamento ainda é bastante controverso.


O labrum acetabular é uma estrutura fibrocartilaginosa que reveste o acetábulo, parte interna do quadril onde o fêmur se encaixa. O labrum tem várias funções importantes na articulação do quadril, como manter a pressão intra-articular e ajudar na distribuição do líquido sinivial. Por esse motivo, ele é descrito por muitos autores como o menisco do quadril.

O labrum é uma espécie de moldura que reveste as bordas da cavidade acetabular da bacia e a mantém firmemente articulada à cabeça femoral. 



Além disso ele, juntamente com a cápsula e os ligamentos que a envolvem, fecham hermeticamente a articulação, permitindo que o fluido sinovial circule em seu interior e a lubrifique. 

Quando há lesão do labrum por traumatismos agudos ou repetitivos, ocorre o extravasamento do líquido com inflamação e liberação de substâncias químicas que irão causar danos à cartilagem articular. 

A estrutura fibrocartilaginosa do labrum serve de amortecedor para o impacto a que o quadril é submetido durante as atividades físicas e desportivas. Por circundar toda a articulação na parte superior e unindo-se ao ligamento transverso na parte inferior, o labrum é um componente de suma importância, juntamente com o ligamento ílio-femoral anterior, a cápsula articular e as demais estruturas estabilizadoras .

As alterações anatômicas do fêmur, do acetábulo ou de ambos podem levar à lesão do labrum, por mudar a relação normal entre a articulação e causar o impacto do fêmur contra o acetábulo durante os movimentos normais do quadril, 

Os movimentos que favorecem esta lesão são os movimentos de  flexão e rotação interna, ocasionando não somente a lesão labral mas também a lesão da cartilagem acetabular, sendo este um fator predisponente desencadeador da artrose do quadril.

Aqueles atletas que apresentam uma lesão do labrum acetabular podem apresentar dor na região inguinal e glúteos. A maior incidência desse tipo de lesão é a população praticante de atividade física, amadores ou profissionais, qualquer indivíduo pode apresentar esse tipo de lesão.

O tratamento pode ser realizado de maneira conservadora ou cirúrgica. O tratamento conservador consiste basicamente em fisioterapia por meio de equilíbrio muscular entre os músculos do quadril com ênfase em adutores e abdutores, porém o fortalecimento desses músculos deve ser orientado por um fisioterapeuta, já que um exercício feito sem orientação pode levar a maior atrito na região e piora do quadro.

Não devemos esquecer também a musculatura CORE, que serve como um estabilizador do quadril, favorecendo assim para um melhor encaixe
anatômico da articulação do quadril.

O tratamento cirúrgico é realizado por meio de artroscopia ou aberta, e visa corrigir a lesão do labrum e também a deformidade causadora da lesão, esse tipo de tratamento é adotado geralmente na falha do tratamento conservador.

Dr. Daniel D´Attilio

14 de jun de 2011

Atividade física contra fibromialgia

Exercícios ajudam na prevenção e reduzem sintomas da doença caracterizada por dores generalizadas e que atinge mais as mulheres.

A fibromialgia causa dores pelo corpo todo e aumenta a sensibilidade dos portadores de tal maneira que, por vezes, um carinho pode doer.
A doença apresenta sintomas como fadiga e sono não reparador, além de depressão e ansiedade. Não se sabe por que, a fibromialgia atinge mais o sexo feminino – são nove mulheres com a doença para cada homem diagnosticado.
Mas uma certeza os especialistas já têm. Se existe uma arma contra a enfermidade ela se chama atividade física.
“Sedentarismo é um fator de risco para a fibromialgia. Portanto, podemos dizer que exercício praticado com regularidade é uma forma de prevenção”, diz o reumatologista Eduardo Paiva, chefe do Ambulatório de Fibromialgia do Hospital das Clínicas da Universidade Federal do Paraná (UFPR).
Da mesma maneira, a atividade física entra como prescrição no tratamento da dor. Entre as recomendações estão exercícios aeróbicos – como caminhada e corrida – e alongamento.
“É claro que para quem não faz nada, esse programa deve entrar de forma gradual na rotina. O paciente ganha qualidade de vida com isso”, garante o especialista.
O problema é que a doença ainda é muito desconhecida e tem um diagnóstico confuso. Segundo a recente pesquisa “Fibromialgia: além da dor”, encomendada pela Pfizer e realizada pelo Instituto Harris Interactive, envolvendo 904 participantes (604 médicos e 300 pacientes) do Brasil, do México e da Venezuela, as pessoas levam mais de dois anos para procurar ajuda especializada e quase cinco anos para ter a enfermidade identificada corretamente.
O estudo apontou também que, ao sentirem dor, os entrevistados esperaram mais de quatro semanas para procurar a primeira ajuda. Entre os motivos, 77% disseram pensar que os sintomas desapareceriam sozinhos; 75% imaginavam ser capazes de controlá-los; 65% não sabiam que se tratava de uma doença que exige cuidados médicos; 63% não sabiam como descrever os sintomas ao médico; e 29% temiam que o médico não os levasse a sério.
Um dos principais sinais da fibromialgia é a dor crônica e difusa e esse sintoma deve ser valorizado. “Caso tenha uma dor que não passa durante três meses, procure um médico”, orienta Paiva. O reumatologista alerta, inclusive, para a dor que aparece na região do trapézio (pescoço e ombros). “As pessoas costumam achar que é só estresse e não dão importância”. Outras dores relatadas pelos pacientes são cefaleias, dores faciais, articulares, câimbras nas pernas e lombalgia.
Na pesquisa, os médicos reconhecem a dificuldade em diagnosticar a doença (46% de clínicos gerais e 47% de especialistas) e em diferenciar seus sintomas de outras doenças (66% clínicos gerais e 68% especialistas). “Os critérios de diagnóstico da fibromialgia foram criados na década de 1990, o que é relativamente recente para a medicina”, explica Paiva.
“Talvez por isso ainda haja certa dificuldade em diagnosticar a enfermidade”.

Geralmente o ortopedista é o primeiro especialista a receber o paciente fibromiálgico. Porém, o mais indicado para conduzir o tratamento é o reumatologista.

Além da indicação da atividade física e da melhora da qualidade de vida de forma geral, o médico pode ainda prescrever medicamentos para o alívio da dor.
Apesar de não se conhecer exatamente as causas da fibromialgia, estudos apontam para um aumento dos impulsos dolorosos transmitidos pelo sistema nervoso central, o que acaba tornando a dor crônica. Por isso, o tratamento da doença deve envolver medicamentos que atuem no sistema nervoso, diminuindo o excesso de mensagens de dor transmitidas dos nervos doentes para o cérebro.
Dr. Daniel D´Attilio
Texto retirado do Site. Ig.com.br

Casos de sinusite triplicam no inverno; saiba identificá-la


Os casos de sinusite triplicam nessa época do ano, dizem os especialistas. E tudo parece conspirar para que isso aconteça - a temperatura mais baixa, o ar seco, as gripes e os resfriados.

Há três tipos de sinusite: bacteriana, viral e fúngica - esta última, mais rara. "Cerca de 85% a 90% dos casos estão relacionados com gripes e resfriados", diz o otorrinolaringologista Wilson Ayres Wilson Ayres, do Hospital São Luiz.



































































































































A viral, mais frequente, é quase um sintoma da gripe e, muitas vezes, passa despercebida. A coriza e a congestão nasal, comuns no resfriado, dão a sensação de desconforto e dor de cabeça, principalmente pela manhã. Mas os sintomas passam com o fim da gripe. Ou deveriam passar. "Desde que a pessoa esteja com a imunidade normal e que tome algumas precauções", afirma o presidente da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia, José Eduardo Lutaif Dolci.

Se passar de dez dias, é sinal de que a inflamação se transformou em uma infecção causada por bactérias. É o tipo de sinusite que mais leva as pessoas ao médico e que deve ser tratada com medicação e com algumas mudanças de comportamento.

"A infecção por bactéria não é o mais preocupante. Temos sinusite porque o nariz deixou de funcionar bem e de se proteger contra as doenças", afirma Richard Voegels, otorrino do Hospital das Clínicas de SP.

O grande problema da sinusite é a secreção (ou coriza) parada. Uma crise de rinite, a poluição ou o ar seco pode fazer com que a mucosa inche ou que a secreção seque, concentrando o muco nos seios da face.

Além de tomar mais água, pingar soro fisiológico mantém o nariz úmido e evita os malefícios do ar seco.

Também é preciso deixar o nariz sempre limpo e, se possível, destrancado. Mas não é indicado o uso de descongestionante em gotas, com vasoconstritor. Só em casos pontuais e por, no máximo, dois dias, segundo Ayres.

Se não tratada corretamente, a crise de sinusite aguda pode se tornar crônica e até causar outras complicações, como meningite e inflamações no ouvido.

Dr. Daniel D´Attilio
Texto retirado do site Folha.com

Veja 20 maneiras de aumentar a sua energia nos dias frios

QUENTES 
Termine seu banho da manhã com uma 'baldada' de óleos essenciais. Em 2 l de água morna, misture uma colher (café) de óleo de amêndoas doces, duas gotas de óleo de gengibre e duas de óleo de palma rosa, para ativar a circulação e hidratar. A fórmula é da aromaterapeuta Sâmia Maluf. Para "aquecer" o ambiente, use num difusor 10 gotas de óleo de tangerina, 10 de canela e 10 de gengibre.

CHÁ DE ESTÍMULO
 Quem esquece (ou tem preguiça) de tomar água no frio não pode deixar de tomar chá. A professora de ioga Vanessa De Luca recomenda um chá de gengibre com canela, dois ingredientes estimulantes. A nutricionista Andréa Andrade, da RG Nutri Consultoria, alerta para a importância de manter a hidratação nesta época.

HORA DE MALHAR 
Cada um tem uma hora favorita para fazer exercícios. A explicação é o relógio biológico e a secreção de hormônios relacionados a um maior estado de alerta. Preste atenção no seu perfil e obedeça seu horário, seja na manhã ou à tarde. Outra sugestão, do fisiologista Paulo Zogaib, da Unifesp, é fazer atividade física nos horários mais quentes do dia (no inverno, do meio-dia até 14h). 

BANHO DE SOL 
Dias mais curtos e menos luminosos são uns dos maiores culpados pelo desânimo do inverno. Nessa época, há uma maior liberação de melatonina, o hormônio do sono. Deixar a casa bem iluminada desde cedo é um antídoto, afirma a neurologista Dalva Poyares, do Instituto do Sono da Unifesp. Outra dica é aproveitar o máximo de sol possível. "A energia tem muita relação com a luminosidade. A luz estimula nosso marca-passo de alerta."

PACOTE ANTICÂIMBRA 
Aquela contração muscular repentina, de causa desconhecida, mas associada ao esforço do exercício físico, pode aumentar no inverno. Quem tem predisposição deve caprichar numa dieta rica em minerais como sódio, potássio, magnésio e cálcio. Pera, tâmara, papaia, abóbora, camarão e feijão-azuqui são indicados. 



RECOMPENSA 
A ginástica ajuda a liberar endorfinas, neurotransmissores que têm ação analgésica, anti-inflamatória e que diminuem a ansiedade e o mal estar. Quanto maior o tempo de atividade, maior a liberação da substância, diz o fisiologista Paulo Zogaib, da Unifesp. "Quando não fazemos exercício, a secreção é pequena e nem percebemos os benefícios." Para quem é sedentário, 30 minutos já podem fazer diferença. Quem já faz algum exercício deve tentar diferentes intensidades. 

ESFREGA-ESFREGA 
No frio, a pele se retrai, o que diminui a disposição. O coreógrafo e bailarino Ivaldo Bertazzo, da Escola do Movimento, reverte isso com um ritual de esfregação. Antes ou depois do banho, use uns seis minutos para escovar o corpo, caprichando nas articulações ou onde sente alguma dor. Você mesmo deve controlar a força das escovadas, para se aquecer sem machucar, dilatando os vasos sanguíneos. "Você fica menos defendido, menos retraído." Prefira escovas de cerdas sintéticas. "Tem uma moda de cerdas naturais, mas elas são piores, ficam sujas."

DESENFERRUJE 
A variação de temperatura diminui a elasticidade das articulações, explica o ortopedista Arnaldo José Hernandez, diretor da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte. É por isso que, no frio, acordamos mais travados. Logo que acordar, mexa-se devagar para aquecer músculos e articulações. Se for fazer uma atividade física, o aquecimento deve começar bem mais leve e durar mais alguns minutos do que você está acostumado. 

ESCALDA-PÉS 
Se seus pés insistem em virar pedras de gelo à noite, jogue-os na água quente. Em três litros de água morna, coloque uma colher (sopa) de óleo vegetal de copaíba, cinco gotas de óleo de gengibre e cinco gotas de óleo de laranja. Deixe bolinhas de gude ou seixos no fundo da bacia, para massagear as solas. Diminui o cansaço e prepara para o sono.

BATE-BATE 
Bata com um bastão de madeira no corpo todo: ombros, pescoço e costas. O bastão pode ser um pedaço de cabo de vassoura. Os movimentos devem ser intensos e a força, de acordo com o seu bem-estar. A sugestão, de Ivaldo Bertazzo, é para gerar mais elasticidade na musculatura e deixar ela menos encurtada. Outra ideia é bater os pés no chão como se estivesse sapateando, mas sem sapatos.

ANTIDEPRESSÃO
 O aminoácido triptofano, presente em alguns alimentos, é um precursor da serotonina, neurotransmissor que ajuda a regular o humor e dá a sensação de bem-estar e prazer. Se consumimos a substância, aumentamos a quantidade de serotonina no organismo. É quase uma ação antidepressiva. Há triptofano na banana, no chocolate e em cereais integrais, diz a nutricionista Paula Gandin. 

AUTOMASSAGEM

Experimente manobras do Do-In para vitalidade (veja os pontos na ilustração ao lado). Comece com dois pontos nas costas (B23 e B52), que ativam os rins. Esses órgãos guardam a vitalidade, na visão da medicina chinesa, diz o mestre de Do-In Juracy Cançado. Com o dorso das mãos, esfregue a área por dois minutos. Outro ponto fica na sola dos pés (R1). Com o polegar da mão oposta, massageie-o para frente e para trás. O último fica no joelho (E36) e é chamado de três milhas -os chineses dizem que dá energia para correr. Com os dedos e a base das mãos, aperte os pontos e as juntas do joelho por dois minutos.



DOSES DE ENERGIA 
Fazer lanchinhos de três em três horas mantém o metabolismo sempre ativo, explica a nutricionista Andréa Andrade.Uma boa forma de fornecer energia ao corpo é consumir carboidratos (barrinhas de frutas, cookies integrais, frutas secas ou naturais). Os integrais são melhores porque são digeridos mais lentamente, o que gera energia contínua, e são ricos em vitaminas do complexo B, importantes para o metabolismo energético.

SEM GORDURA 
Quem tem o hábito de comer antes de dormir deve evitar alimentos gordurosos. A sugestão da nutricionista Andréa Andrade é preparar leite desnatado com especiarias, como cravo e canela. "O leite é rico em cálcio e tem triptofano, substância que ajuda no sono, além de ser quentinho e dar um conforto térmico."

CHOQUE TÉRMICO 
Essa acorda qualquer um, o difícil é ter coragem. Fique 20 minutos em uma banheira com água a mais ou menos 30 graus. Depois, use o chuveirinho para dar jatos de água gelada no corpo, de baixo para cima, por uns 30 segundos. Quem não tem banheira pode tomar uma ducha gelada no fim do banho, ensina Mariela de Oliveira Silveira, médica do Spa Kurotel. A mudança brusca de temperatura ativa a circulação, aumenta a disposição e a imunidade.

EXPIRE... 
Em vez de inspirar mais fundo, tente expirar mais fundo. Faça uma contagem: inspire em três segundos e expire em oito. Faça isso sentado ou deitado, com a coluna ereta, e repita várias vezes. O exercício ajuda a eliminar toxinas do organismo, de acordo com Ivaldo Bertazzo. 

DESJEJUM DIFERENTE 
Teste receitas energéticas no café da manhã. Que tal um suco feito de gengibre batido com limão e açúcar? O gengibre também pode incrementar a vitamina de frutas. Tente usar iogurte natural em vez de leite. Outra ideia é levar uma banana ao forno com melaço de cana, gergelim e amendoim torrado. A nutricionista Paula Gandin sugere ainda um creme de abacates, que pode ser feito salgado ou doce. "O abacate é mal visto por ser calórico, mas a gordura dele ajuda a diminuir o colesterol."

RESPIRAÇÃO LOCOMOTIVA 
Não precisa ser iogue para aproveitar o benefício do bhastrika (respiração de fole), exercício respiratório que acelera os batimentos cardíacos e aquece o corpo. Sente-se com a coluna ereta e inspire e expire o ar rapidamente (imitando o barulho de uma locomotiva). Ao soltar o ar, recolha o abdome para expirar mais rápido. É como uma sanfona acelerada. Faça isso por 30 segundos e volte a respirar normalmente. Se estiver se sentindo bem, pode repetir duas vezes, diz Vanessa De Luca, professora de ioga da YogaFlow. 

CARDÁPIO TERMOGÊNICO 
Há alimentos que aceleram o metabolismo, são os chamados termogênicos. Estão na lista a pimenta, o café, o chá-verde e o gengibre. "Tente colocar mais pimenta nos pratos de sempre", recomenda a nutricionista funcional Daniela Jobst.

SEM SESTA 
Feijoada ou lasanha são mais atrativos no inverno, porque precisamos de mais calorias. Mas, por causa da gordura saturada, são de difícil digestão e dão sono. "A energia do corpo todo é direcionada para a digestão", diz a nutricionista funcional Daniela Jobst. Para matar a vontade de gordura e manter a disposição,coma frutas oleaginosas (nozes, macadâmia) e chocolate meio amargo.


Dr. Daniel D´Attilio
Texto retirado do Site Folha.com

10 de jun de 2011

Protocolo de Reabilitação - Artroplastia Total de Joelho



DATA DA CIRURGIA
SEMANA
MÊS
AVD´s
1
2
3
4
5
6
7
8
3
4
5
6
7
8
CARGA PARCIAL
***
**
.
CARGA TOTAL
#
DIRIGIR
#
SUBIR E DESCER ESCADAS
#
BICICLETA
#
CORRER
RECOMENDADO * 1 MULETA; ** 2 MULETAS, ***ANDADOR,
# LIBERAÇÃO SEGUNDO TOLERÊNCIA DO PACIENTE




SEMANA
MÊS
ADM (Extensão-Flexão)
1
2
3
4
5
6
7
8
3
4
5
6
7
8
PASSIVA
0-600-90
PROGRESSIVO
* ADM total que a prótese permite
ATIVA
0-60
0-90
PROGRESSIVO
MOBILIZAÇÃOPATELAR
Obs: Ganho mínimo esperado.
*ADM final é dependente do modelo da prótese (± 0-100°)




SEMANA
MÊS
ANALGESIA
1
2
3
4
5
6
7
8
3
4
5
6
7
8
ELETROANALGESIA (MINIMO 30 MIN.)
Até alívio da DOR
CRIOTERAPIA (20 - 30 MINUTOS)
Até sinais flogísticos desaparecerem
Obs:PODE SER REALIZADO A CADA 2 HORAS.
*CUIDADO COM OS PONTOS




SEMANA
MÊS
CINESIOTERAPIA
1
2
3
4
5
6
7
8
3
4
5
6
7
8
ALONGAMENTO (IQT´s e TS)
ALONGAMENTO (QUAD)
Seguir ADM
CCA (QUADRIL-FLEXÃO)
CCA (QUADRIL-EXTENSÃO)
CCA (QUADRIL-ADUÇÃO)
CCA (QUADRIL-ABDUÇÃO)
CCA (JOELHO-FLEXÃO)
Seguir ADM
CCA (JOELHO-EXTENSÃO)
#
CCA (TORNOZELO)
CCF (Solo estável)
#
CCF (Solo instável, sem apoio)
#
BICICLETA ERGOMÉTRICA
Assim que ADM permitir
EENM
Até desparecer inibição muscular
# LIBERAÇÃO SEGUNDO TOLERÊNCIA DO PACIENTE




SEMANA
MÊS
PROPRIOCEPÇÃO
1
2
3
4
5
6
7
8
3
4
5
6
7
8
SOLO ESTÁVEL (Bipodal)
#
SOLO ESTÁVEL (Unipodal)
#
SOLO INSTÁVEL (Bipodal)
#
SOLO INSTÁVEL (Unipodal)
#
DESLOCAMENTO (A-P)
#
DESLOCAMENTO (L-L)
FAZER ORIENTAÇÃO QUANTO AO DESGASTE DA PRÓTESE
DESLOCAMENTO (Pivot)
# LIBERAÇÃO SEGUNDO TOLERÊNCIA DO PACIENTE


Dr. Daniel D´Attilio Neto
Fisioterapeuta

 
As informações deste blog tem objetivo de informar e propagar o conhecimento. Não estão aqui em caráter de consulta, tampouco substituem a consulta médica ou fisioterapêutica. Os profissionais de saúde são os únicos indicados para avaliar e traçar a conduta necessária caso a caso. Se estiver com algum problema, procure um profissional de saúde.